26 melhores alimentos para um intestino mais saudável e feliz

26 melhores alimentos para aumentar as bactérias intestinais

Foto de Baloncici / Getty

Em nossa ecologia interna, assim como na ecologia do planeta, diversidade é igual a resiliência. Quanto mais tipos de bactérias intestinais amigáveis ​​tivermos, melhor será a digestão do intestino e menor será a chance de um alimento ou componente alimentar em particular perturbá-lo ou desencadear uma resposta inflamatória prejudicial.Para encorajar um 'microbioma' saudável e diverso dentro de seu trato gastrointestinal, duas coisas são necessárias:

1. Alimentos de energia pré-biótica
Um alimento que é prebiótico contém ingredientes, principalmente fibras, dos quais as bactérias intestinais se alimentam, produzindo subprodutos da fermentação que beneficiam a saúde. Aqui estão alguns dos alimentos prebióticos mais potentes:

  • Amêndoas
  • Espargos
  • Bananas
  • Raiz de bardana
  • Grãos de cereais (trigo integral, cevada, centeio)
  • Raiz de chicória
  • Endívia
  • Alho
  • Verdes (especialmente verdes dente de leão)
  • Alcachofra de jerusalem
  • Jicama
  • kiwi
  • Alho-poró
  • Legumes
  • Cogumelos
  • Aveia
  • Cebolas
  • Salsify

    2. Alimentos Potentes Probióticos
    Em vez de serem cozidos ou comidos frescos, os alimentos ricos em probióticos são preparados colocando-os em uma panela elétrica ou em um frasco de vidro ou deixando que as bactérias os fermentem naturalmente. Bactérias comuns, como os lactobacilos, decompõem os açúcares em ácidos, preservando os alimentos e conferindo um sabor salgado e picante. Alimentos fermentados podem fornecer fibras para nossas bactérias intestinais residentes, bem como um novo carregamento de bactérias transitórias. As novas bactérias aumentam a diversidade de nossos micróbios intestinais durante seu trânsito unilateral e, de uma forma que os cientistas estão apenas começando a desvendar, ajudam os insetos residentes a fazer melhor seu trabalho. Aqui estão alguns dos alimentos probióticos mais potentes:

    • Legumes fermentados (kimchi, chucrute, cenoura, feijão verde, beterraba, pickles lacto-fermentados, azeitonas gregas curadas tradicionais)
    • Soja fermentada (missô, natto, tempeh)
    • Produtos lácteos cultivados (leitelho, iogurte, kefir, queijo)
    • Produtos cultivados não lácteos (iogurtes e kefirs feitos de soja orgânica, coco, etc.)
    • Grãos e feijões fermentados (lentilhas lacto-fermentadas, grão de bico, missô, etc.)
    • Bebidas fermentadas (kefirs e kombuchas)
    • Condimentos fermentados (crus vinagre de maçã )